Yahoo Search Busca da Web

Resultado da Busca

  1. Porque a Beleza, gêmea da Verdade. Arte pura, inimiga do artifício, É a força e a graça na simplicidade. Um dos sonetos mais famosos de Olavo Bilac, este parece ser um recado A um poeta, no qual o sujeito transmite a sua visão e os seus conselhos acerca do ofício da escrita.

  2. 9 de nov. de 2015 · Para que você conheça os versos do poeta parnasiano mais lido à sua época, o site Escola Educação selecionou quinze poemas de Olavo Bilac que certamente despertarão seu interesse pela obra do escritor, representante maior da estética parnasiana.

  3. Para que você conheça um pouco mais do preciosismo, da pureza da forma e da linguagem do poeta, o Brasil Escola selecionou cinco poemas de Olavo Bilac para você ler e admirar.

  4. A primeira obra publicada de Olavo Bilac foi “Poesias” (1888). Nela o poeta já demonstra estar identificado com a proposta do Parnasianismo, como comprova seu poema “Profissão de Fé”. A obra alcançou imediato sucesso e logo Bilac foi considerado “O Príncipe dos Poetas Brasileiros”.

  5. Parte das crônicas que escreveu em mais de 20 anos de jornalismo está reunida em livros, entre os quais Vossa Insolência (1996). Bilac, autor de alguns dos mais populares poemas brasileiros, é considerado o mais importante de nossos poetas parnasianos.

  6. Poemas de Olavo Bilac. 859 compartilhamentos. Ao coração que sofre, separado. Do teu, no exílio em que a chorar me vejo, Não basta o afeto simples e sagrado. Com que das desventuras me protejo. Não me basta saber que sou amado, Nem só desejo o teu amor: desejo.

  7. Olavo Bilac foi, provavelmente, o maior expoente do Parnasianismo na poesia brasileira. Convém compreendermos, portanto, do que se trata a “arte do parnaso”. Antes, porém, é imprescindível aludirmos para a corrente que a antecede e, em muitos aspectos, a motiva – no caso, o Romantismo.

  8. (Poesias, Sarças de fogo, 1888.) A UM POETA. Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego Do claustro, no silêncio e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Mas que na forma se disfarce o emprego

  9. Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac (Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 1865 — 28 de dezembro de 1918) foi um jornalista, contista (vide “Contos Pátrios”), cronista e poeta brasileiro do período literário parnasiano, membro fundador da Academia Brasileira de Letras.

  10. Ora (direis) ouvir estrelas pertence a coleção de sonetos Via Láctea que, por sua vez, está inserido no livro de estreia do escritor brasileiro Olavo Bilac. O soneto é o número XIII de Via Láctea e ficou consagrado como a parte mais famosa da antologia intitulada Poesias , publicada em 1888.

  1. As pessoas também buscaram por