Yahoo Search Busca da Web

Resultado da Busca

  1. Olavo Bilac (1865-1918) foi um autêntico poeta brasileiro. Considerado o melhor representante do parnasianismo de nossa literatura, é dele a autoria da letra do Hino à Bandeira. Escreveu sobre cenas inspiradas na Antiguidade grega e romana, tal como “A Sesta de Nero” e...

    • Professora Licenciada em Letras
    • 5 min
    • Tópicos Deste Artigo
    • Biografia de Olavo Bilac
    • Características Literárias de Olavo Bilac
    • Obras de Olavo Bilac
    • Poemas de Olavo Bilac
    • Frases de Olavo Bilac

    Olavo Bilacnasceu em 16 de dezembro de 1865, no Rio de Janeiro. Na ocasião, seu pai, o médico Brás Martins dos Guimarães Bilac, era cirurgião do Exército na Guerra do Paraguai (1864-1870). Assim, em 1880, com apenas 15 anos de idade e uma autorização especial, Olavo Bilac ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, mas acabou desistindo d...

    O poeta Olavo Bilac, apesar de possuir uma poesia subjetiva e sentimental, é considerado um autor do parnasianismobrasileiro, que possui as seguintes características: 1. Antirromantismo: não sentimental 2. Antropocentrismo: valorização da razão 3. Objetividade: em oposição ao subjetivismo 4. Poesiadescritiva 5. Rigor formal: metrificação e rimas 6....

    Poesias(1888)
    Crônicas e novelas(1894)
    Sagres(1898)
    Crítica e fantasia(1904)

    O soneto a seguir faz parte da obra Poesias, de Olavo Bilac. Nele, o eu lírico afirma que “a chorar”, enquanto seguia seu caminho (sua vida), ele buscava um coração (uma pessoa) que fugia dele (não correspondia ao seu amor). No mais, ele só encontrava “corações de ferro” (pessoas insensíveis). Entretanto, no final, o eu lírico consegue tocar o cora...

    A seguir, vamos ler algumas frases de Olavo Bilac, retiradas de entrevista concedida ao jornalista e cronista João do Rio(1881-1921), em 1904: “O mal do Brasil é antes de tudo o mal de ser analfabeto.” “Há, na vida, coisas que se dizem, mas não se escrevem, coisas que só se escrevem, e outras que nem se escrevem nem se dizem, mas apenas se pensam.”...

    • A um poeta. Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino escreve! No aconchego. Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha e teima, e lima , e sofre, e sua!
    • A velhice. O neto: Vovó, por que não tem dentes? Por que anda rezando só. E treme, como os doentes. Quando têm febre, vovó? Por que é branco o seu cabelo? Por que se apóia a um bordão?
    • Ora (direis) ouvir estrelas! “Ora (direis) ouvir estrelas! Certo. Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto, Que, para ouvi-Ias, muita vez desperto. E abro as janelas, pálido de espanto …
    • Em uma tarde de outono. Outono. Em frente ao mar. Escancaro as janelas. Sobre o jardim calado, e as águas miro, absorto. Outono... Rodopiando, as folhas amarelas.
  2. Obras de Olavo Bilac. Poesias (1888); Crônicas e novelas (1894); Crítica e fantasia (1904); Conferências literárias (1906); Dicionário de rimas (1913); Tratado de versificação (1910); Ironia e piedade, crônicas (1916); Tarde (1919); Poesia, org. de Alceu Amoroso Lima (1957), e obras didáticas.

  3. Conheça Olavo Bilac, conhecido como o Príncipe dos Poetas. Saiba qual é o seu estilo literário. Leia algumas poesias e frases do autor.

  4. Localiza-se no Largo de São Francisco. Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac ( Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 1865 — Rio de Janeiro, 28 de dezembro de 1918) foi um jornalista, contista, cronista e poeta brasileiro, considerado o principal representante do parnasianismo no país.

  5. 9 de nov. de 2015 · Confira a lista dos 13 Melhores Poemas de Olavo Bilac. Veja suas melhores obras e saiba mais sobre a vida de uma dos maiores poetas brasileiros.

  1. Buscas relacionadas a olavo bilac obras

    olavo bilac