Yahoo Search Busca da Web

Resultado da Busca

  1. Alain Badiou (Rabat, 17 de janeiro de 1937) é um filósofo, dramaturgo e novelista francês nascido em Marrocos. É conhecido por sua militância maoísta, por sua defesa do comunismo e dos trabalhadores estrangeiros em situação irregular na França.

  2. en.wikipedia.org › wiki › Alain_BadiouAlain Badiou - Wikipedia

    Alain Badiou (/ b ɑː ˈ d j uː /; French: [alɛ̃ badju] ⓘ; born 17 January 1937) is a French philosopher, formerly chair of Philosophy at the École normale supérieure (ENS) and founder of the faculty of Philosophy of the Université de Paris VIII with Gilles Deleuze, Michel Foucault and Jean-François Lyotard.

  3. 6 de abr. de 2023 · Conheça a trajetória e o pensamento de Alain Badiou, um dos principais filósofos do comunismo contemporâneo. Saiba como ele defende a Revolução Cultural Chinesa, a Comuna de Paris e a filosofia radical contra a desorientação absoluta.

  4. Neste artigo vamos trabalhar algumas formulações de Alain Badiou em torno da questão sobre o sujeito, procurando estabelecer correlações entre sua teoria e as elaborações que aprendemos a ler na psicanálise, lembrando sempre da afinidade que este filósofo não cansa de afirmar com relação a Lacan, de quem foi atento e cuidadoso aluno.

  5. Alain Badiou participe à de nombreux colloques et débats. Il intervient également dans des collèges, lycées et universités notamment après la publication de son livre La Vraie Vie 24 comme au lycée Henri-IV ou à l' École nationale des beaux-arts.

  6. 1 de dez. de 2017 · Aborda-se aqui um panorama geral da filosofia de Alain Badiou para traçar alguns apontamentos sobre a originalidade de seu conceito de sujeito. Através de uma problematização do sistema de Badiou, apresenta-se contraposições a Slavoj Zizek, Althusser e Lacan.

  7. Alain Badiou escreve uma filosofia fortemente calcada na lógica e na matemática, que se estende à política, à psicanálise e à estética. Ele propõe sua ontologia (leia-se: lógica matemática) em duas obras fundamentais: O ser e o evento, de 1988, e Lógicas dos mundos, de 2006.

  1. As pessoas também buscaram por